Na obra «A Força d'um Amor (+18)» acha que o filho de Lisa nasce?

terça-feira, 7 de novembro de 2017

Fanfic: Meu querido Professor (+18)

Episódio Dois
            Navego na Internet, um pouco distraio-me e sobressalto quando oiço o trinque da pesada porta de três trancas em seguida o seu arrastamento na tijoleira, deixo o computador em Stand by e levanto-me caminho até à varanda interna, oiço a voz que me era familiar:
- Ok, Igor! – Vejo uns sapatos castanhos a caminhar na kitchenette entra para traz do balcão – percebi. - Declara depois de algum tempo em silêncio move os sacos de plástico – podes deixar vai ser uma festa de arromba. - Dou conta da abertura do frigorífico
 Desço as escadas num passo surdo enquanto a senhora de cabelos curtos cortados à escovinha, que trajava uns jeanes azuis e um casaco do mesmo tecido, falava ao telefone, quero que tenha uma surpresa quando Sandra me vir irá ficar contente. Já há muito tempo que cá não venho era normal termos saudades:

- Percebi! – Declara, por fim em tom triunfante – sim… Igor, agora vou ter de desligar, pois tenho que preparar o jantar da Ana, antes que ela chegue. – Aproximo-me sem me fazer notar, com o meu passo cauteloso – tá! Depois falamos, tchau!
Desliga a chamada. Eu caminho mais até à banca onde ela estava a preparar tudo, para em seguida fazer o jantar.
- Sandra – sorri, ela volta-se com calma com os olhos cheios de lágrimas – já estou cá – informo, em seguida a senhora abraça-me num eterno abraço de duas amigas limpando as lágrimas.
- Ana Luísa – balbucia a dama – deixa-me ver como estás? – Encara-me por meio das lágrimas que lhe teimavam em cair.
   Sandra é a empregada da minha mãe a que a ajuda nas contratações, sempre cuidou de mim, foi ela quem me levou à escola no meu primeiro dia de aulas, quase uma segunda mãe para mim, sabe que estou de dieta por causa do motocross que pratico, tenho sempre de estar forma. Sempre ter cinquenta quilos. Esta construção física, ou seja quase não ter barriga, nem sei onde meto o comer. Estar sempre em forma, comer à grilo, alface e outros vegetais, não beber nada além de água mineral e leite, sem açúcar de preferência. Por vezes nem sei muito bem, como estou em pé. Porém estou, uma vez que sei que aquilo que como, não traz alimento quase nenhum, mas é uma maneira saudável de comer, uma forma de mais saudável possível. Não como porcarias. Os meus seios são pequenos, apesar da minha altura.
A assistente da minha mãe tem sido uma pessoa exemplar comigo, damo-nos lindamente, atrevo-me a dizer que ela tem sido ao longo destes anos em que a minha mãe estive a escrever um livro, e que eu estive de colégio em colégio, um mais rígido do que outro que Sandra tem sido o meu amparo, ao longo deste tempo todo.  
- Oh! – Uma lágrima escapara-me, ali sei que posso deixar a minha pele de dura. – Como é que quer que eu esteja? – Pergunto, tristemente.
- Oh minha menina! – Vocifera com emoção por me ver, leva as suas delicadas mãos à boca.
Apesar deste entusiasmo todo, estou triste, uma vez que eu fui a culpada pela morte de alguém a mágoa e a culpa impõe-se no meu interior. Estou viva, mas talvez me sinta morta a minha alma está morta.
Oiço o som do Skype, subo rapidamente as escadas, sublime alcanço o segundo piso e deslizo até aos meus aposentos. Sento-me na cadeira, em frente à máquina:
SEXTA, 10 DE JUNHO DE 2016
Isabel Oliveira:
“ Olá miúda! Como estás?”
Ana Luísa Butiler
                                                                                  “Bem, obrigada! E contigo, Bela?”
“Também se vai andando.”
  “Então conta novidades…”  
                                   “Ah! Só no continente J
“LOL! Não é isso, pah!”
“Quando é que vais para África?”

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Fanfic: Meu querido Professor (+18)

Episódio Um
            Sou uma mulher de cabelos castanhos, elegante como a minha mãe, filha de um fotógrafo famoso que anda sempre a viajar com o objetivo de melhorar nas suas fotografias, sem tempo para mim. Ao passo a minha mãe é uma cantora famosíssima e nunca está em casa. Mesmo nunca, por isso estou numa academia Militar, aos dezanove anos.
            Entrei com cinco anos para o Vale da Luz, estou acostumada a ver os meus pais algumas vezes durante o ano, embora sejam raras. Foi aí que conheci, a minha amiga Isabel Oliveira, que tem os pais médicos só que ao contrário de mim ela anda no Vale da Luz, o colégio que fica encravado na Serra de Sintra. Assim, que fez o nono ano, a maior parte dos alunos mudou e a vida tomou outros rumos, o diretor Lúcio, e a doutora Mariana, Psicóloga entenderam que era melhor separar a turma, pois todos nós tínhamos problemas convergentes.
            Foi então admitida no regime militar com Vera Ruas e Joel, mas não os vejo talvez por pertencer a outra companhia. Sou magra, todos poderiam pensar que sou doente, e tenho um distúrbio alimentar, mas não estou, é a minha construção física que é assim. Embora, eu fosse muito frustrada pela falta de atenção que sentia em casa.
            Chamo-me Ana Luísa Mendonça Butelie, não tenho namorado, talvez porque tenha uma personalidade forte, de mais para a minha idade, sou independente nunca necessitei da minha mãe e muito menos do meu pai, para nada.   
O som estridente de uma campainha, o toque da tão ansiada liberdade finalmente chegou, a tão desejada alforria, os alunos correm já sem uniforme pelas escadas abaixo. Reúnem-se no pátio.
            O Sol já vermelho no horizonte escondido atrás de uma árvore. São indícios que mais um dia chega ao fim. Um campo de basquetebol abandonado, a nossa turma reunida nas escadas, da Academia Militar dos Pupilos do Exercito, a instituição foi a minha casa desde o 5º ano, até ao 12º, os meus pais achavam que aquela seria a melhor educação que me poderiam proporcionar e também por eu ser rebelde, a principio não gostei, o exercito representou para mim, uma escola de valores e de regras quase como uma prisão mas devo-lhes tudo. Agora, reconheço que esta instituição militar foi fundamental para me formar enquanto pessoa humana, uma mulher digna com valores e cultura.
          

quarta-feira, 12 de julho de 2017

Meu Querido Professor


Meu Querido Professor - Fanfic


Sinopse
            Ana Luísa é uma rapariga independente, muito feminista apesar de praticar motocross, sendo a piloto mais conceituada nesta modalidade, apesar do que lhe chamam. Aventureira, com um passado conturbado, devido a um acontecimento puramente trágico, que lhe causa pesadelos, para não preocupar os outros oculta e dá uma aparência de alegre, motivadora. Ingressa no Primeiro ano de Gestora Empresarial, e conhece um professor atado.
            Sebastião Quintino, um homem jovem, é um professor universitário de Estatística Quântica, duro mas que com um espirito de velho, sem luz, bastante tímido para o sexo feminino, um professor de excelência, noivo de uma professora de Economia Política; contudo não sabe o que fazer com ela.

            Quando vê na Rebeldia e no espirito jovial da sua aluna os motivos suficientes para mudar alguns dos seus comportamentos, ambos desenvolvem um sentimento maior do que a amizade quando os problemas começam a surgir.       

segunda-feira, 10 de abril de 2017

Dançando para Sobreviver

😞😞😞👣
Brevemente será publicado o Dançando para Sobreviver - Conversas no Aeroporto. Ao longo deste ano. 

Espero que gostem :). 
João Miguel.

Sinopse:

Edgar é um lutador, orgulhoso. O seu sonho é se tornar no melhor dançarino profissional. Noivo de Sophien Saramago, detestado pela família, pelas escolhas que fez. Os seus pais nunca apoiaram a sua carreira, sempre voltados para o Mundo dos Negócios, e da fábrica de perfumes.

Certo dia, Edgar tem a oportunidade por que cada um espera. De defrontar a World Champion’s que se realizará em Lisboa. Quando encontra no aeroporto Katherine uma jovem linda e fascinante. Ambos descobrem que têm de conviver na mesma academia por um ano. 

sábado, 17 de setembro de 2016

Webpage

                           De acordo com os meus padrões de cultura, que só serão válidos para mim apresento-vos o meu site oficial Webpage.Oficial, pois pode ser cedo, mas ando com uns planos que espero conseguir ter tempo e força para lutar contra tudo para conseguir voltar em breve a este espaço e continuar aquilo que me faz bem, o que me faz verdadeiramente feliz. 

                     Aviso, este blog não vai parar de existir pois será como um gangrenador para vos dar a conhecer sobre os mesmos textos, não na versão final, porém gosto de aqui estar e vir escrever-vos de vez em quando. 
                           Está previsto que continue a fic A Força d'um Amor (+18), 100 themes Challenged, Legado (saga) e os Altos dos Vendavais. Assim como os meus dramas. 
                                   
                                 Este espaço assegura os meus direitos autoriais, é um espólio destinado à reunião de tudo aquilo que escrevemos.  

                                                                Beijinhos, 

                                                                               Cinha Torre      

Atenção!!!

O blog está protegido.



Quem quiser copiar algum conteúdo sem autorização prévia do seu autor arrisca-se a uma acção penal, que acompanhará uma indemnização aos autores.



O Plágio é crime!!!





src='http://storage.myfreecopyright.com/mfc_protected.png' alt='MyFreeCopyright.com Registered & Protected' title='Copyright Protected' widhth ='145px? height'38px' border='0'/>




Fanfic: Meu querido Professor (+18)

Episódio Dois             Navego na Internet, um pouco distraio-me e sobressalto quando oiço o trinque da pesada porta de três trancas e...